Se está aqui, certamente já se perguntou o que é SEO?

SEO é um acrónimo para Search Engine Optimization ou, Otimização dos motores de pesquisa, que contempla uma séria de técnicas que visam posicionar os websites nos resultados de pesquisa do google para as pesquisas relacionadas.

Até aqui tudo bem, mas esta definição consegue encontrar na Wikipedia ou em qualquer outro Blog certo? 

Neste artigo vou explicar SEO recorrendo a exemplos práticos e analogias fáceis de perceber, eis o que vou abordar:

  • Como funcionam os motores de pesquisa? ;
  • Quais as vantagens e benefícios de fazer SEO;
  • Quais as áreas e técnicas de SEO onde devemos aplicar maior esforço;
  • O que deve e o que não deve fazer para posicionar um site nas primeiras posições do Google;
  • Algumas ferramentas de SEO;

Como funcionam os motores de pesquisa? “Analogia do Livro”

Na minha agência de marketing digital eu gosto de utilizar a mesma analogia sempre que explico técnicas de SEO e o funcionamento dos motores de pesquisa.

Vamos considerar que o Google é o chefe de uma grande biblioteca, composta por livros que são o nosso site, que contêm páginas que analogamente são os urls das páginas do site. Até aqui ok?

Quando fazemos uma pesquisa no Google, ele vai à sua biblioteca inteira procurar em todos os livros para apresentar os resultados mais relevantes à pesquisa.

Para isso o Google utiliza um programa que se chama de algoritmo que ninguém sabe ao certo todos os fatores que tem em conta para posicionar os websites. Mas, pelo menos existem pistas fornecidas pelo próprio Google:

“Existem muitos fatores de posicionamento incluindo as palavras da pesquisa, a relevância e usabilidade das páginas, a credibilidade das fontes de informação e localização do usuário, entre outros...”

Não foi lá muito esclarecedor pois não?

Eu sei que não mas, por uma lado é positivo, se eles dessem a receita toda seria possível  manipular ainda mais os resultados de pesquisa e, já imaginaram a qualidade da internet se isso acontecesse?

A boa noticia é que neste artigo eu vou explicar, recorrendo à mesma analogia da biblioteca, quais são os fatores mais importantes a ter em conta para posicionar qualquer website nos resultados de pesquisa. Mas primeiro vamos ver quais as vantagens de fazer bom SEO e de ter as primeiras posições do Google.

Fiquem comigo!

5 Vantagens de fazer SEO

#1- Os 3 primeiros resultados têm 60% dos cliques:

É uma estatística importante que revela que as 3 primeiras posições levam grande parte do tráfego dessas pesquisas. De nada serve ter um website na segunda página de resultados pois apenas 2% das pessoas vão tão longe quando pesquisam.

#2- Uma grande percentagem de utilizadores ignora os anúncios

Verdade, isto porque muita gente ignora por defeito os resultados patrocinados, como os anúncios de pesquisa Google, outras não ignoram mas têm mais confiança em conteúdo não patrocinado. Pode-se concluir portanto que o trafego orgânico é geralmente mais qualificado que o tráfego pago, resultando normalmente em maior permanência no site e mais conversões para os negócios.

#3- O tráfego de SEO é gratuito!

Pois é! O SEO, além de gerar mais e melhor tráfego, esse tráfego também é gratuito. Não se deixe enganar com a palavra grátis, o tráfego pode ser grátis mas fazer SEO exige tempo e dedicação, para além de não ser grátis, no limite, tempo é dinheiro...

#4- Se for bem feito, os resultados mantêm-se por muito tempo

O nosso esforço a fazer SEO depende essencialmente dos nossos concorrentes, por isso, após conseguirmos as primeiras posições, é necessário haver bastantes mudanças nos resultados concorrentes para as perdermos. Isso pode acontecer mas leva o seu tempo, até porque não se fazem sites concorrentes ao nosso todos os dias. Concordam?

#5- 28% das pesquisas nas proximidades resultam numa compra de produto ou serviço

Esta vantagem é para os negócios locais e passo já a explicar: Esta estatística refere-se a pesquisas locais, ou seja, se estou no Porto e procuro “dentista” os resultados que me aparecem no Google são dentistas no Porto.

Estas técnicas de posicionamento local têm o nome de Local SEO e são extremamente úteis para qualquer negócio físico local, pois geralmente são extremamente qualificadas.

 O que é na Prática SEO :

E pronto, se chegou até aqui é porque está realmente interessado em saber o que é SEO na prática, como funciona, o que fazer e o que não fazer, certo?

Eu explico SEO em 3 palavras:  AUTORIDADE, RELEVÂNCIA E CONFIANÇA.

Autoridade é estabelecida pelos websites que se ligam ao nosso, lembra-se da analogia da biblioteca e dos livros? Pois bem, se o meu livro tiver referências científicas altamente reconhecidas, é mais provável que o Google (dono da biblioteca) o considere mais importante que um outro livro sem referências ou, com referências não tão conceituadas, certo? Da mesma forma, se o meu website tiver um link do bbc.com ou financialtimes.com  a apontar para ele, vai ser considerado importante pelo Google, pelo menos mais importante que os outros sites que têm links de sites mais fracos ou nenhum.

Relevância é baseada nos assuntos que eu abordo no meu livro ou, o conteúdo que tenho no meu site. Quanto mais relacionados estiverem os tópicos do meu site com a pesquisa efetuada, mais relevância o meu website vai ter para aquela pesquisa.

Confiança é um fator cada vez mais importante no posicionamento orgânico de um site. Confiança é estabelecida desde a originalidade do conteúdo, à verificação do website como negócio real (Google my business), do autor da página como pessoa real, interação nas redes sociais da marca, os sites onde estamos ligados e os que ligam a nós.

DICA PRO: Não procure caminhos rápidos e fáceis. Construa uma marca com conteúdo orginal e de referência.

Posto isto, vamos agora explicar os fatores que influenciam cada uma das diferentes áreas de SEO. Fiquem comigo!

On-Page SEO

On page SEO é a área de SEO aplicada a tudo o que diz respeito ao nosso website, tanto ao nível da otimização do conteúdo (On page Optimization), como ao nível técnico e estrutural do website (Technical SEO).

De seguida vou explicar cada uma, bem como dar DICAS para a sua implementação:

On-page optimization:

On Page optimization, ou se quisermos, otimização na página, consiste num conjunto de técnicas que visam tornar o nosso conteúdo o mais relevante possível para as pesquisas, RELAVÂNCIA lembram-se?

Pode ser divido pelas seguintes técnicas:

Densidade de Keywords ou Keyword Density :

Entenda-se por keywords ou palavras chave as palavras de pesquisa para as quais queremos posicionar o nosso website. A densidade de palavras-chave é a quantidade de palavras chave que temos na nossa página a dividir pela quantidade de texto total da página.

Se a densidade estiver baixa podemos dizer que a nossa página está "underoptimized", que é um problema pois não temos RELEVANCIA SUFICIENTE mas, se estiver alta demais também é um problema porque.....

SPAMMER ALERT : perdemos CONFIANÇA pois não é natural ter tantas vezes aquela palavra numa só página e o Google sabe disso, prejudicando os espertinhos que o fazem.

Topical Coverage :

Consiste na cobertura de todos os tópicos  relacionados com a pesquisa em questão, de forma a tornar o nosso conteúdo o mais completo possível. Por isso se diz que o conteúdo é Rei. Mas calma, se o conteúdo é rei, o contexto é Deus, isto porque o que vai definir os tópicos a abordar por página para cada pesquisa são....os top resultados do Google.  

A falta de topical coverage leva a um problema comum chamado de “thin content” ou conteúdo pobre. Já a divergência de tópicos pode levar  a uma baixa “topical relevance”, ou seja, relevância baixa para aquela pesquisa e, já sabemos o que isso significa não é?

DICA PRO: Cubra todos os tópicos dos TOP 10 resultados do google. Acrescente mais tópicos do separador "pesquisas relacionadas" do google.

TF*IDF ou True Density:

Bem, não querendo entrar num tema muito técnico ou aborrecido, tf*idf ou true density são algoritmos que o Google utiliza para perceber a relevância de cada página ao tema da pesquisa. Para isso, ele analisa as palavras comuns  de todas as páginas que abordam um certo tema e determina se a nossa página é relevante ao tema ou não. 

Bahhh, até eu fiquei baralhado?!

Mas espere, voltando à analogia da biblioteca, quando procuro um livro sobre “como tirar rugas do rosto” é espectável que o livro tenha a palavra “pele” com muita frequência nas suas páginas certo? Já se a palavra “cão” estiver muitas vezes nesse livro, não vai parecer muito RELEVANTE com o tema "tirar rugas do rosto" verdade? É exatamente essa análise que o Google faz às palavras das páginas do nosso livro , ou website.

Resumindo e concluindo, existem termos específicos, entenda-se, palavras ou a combinação de palavras ,que devem estar presentes no nosso website com uma determinada frequência  se quisermos ter relevância perante o Google, para um determinado tópico. Esse ajuste de frequência chama-se otimização TF*IDF e é altamente eficaz na otimização da nossa página para os melhores lugares do Google.

Mais à frente ainda neste artigo, vou recomendar ferramentas que eu uso , umas grátis, outras pagas, para quem está interessado em fazer SEO com rigor. Mas agora, vamos à parte técnica.

Technical SEO

O SEO técnico é um conjunto de técnicas relacionadas com a estrutura e desempenho de um website. Voltando ao exemplo da  biblioteca, se o Google é o chefe da biblioteca, o nosso site é o livro e as posição do nosso site no Google é a posição do nosso livro na estante da biblioteca,. Quanto mais visível melhor certo? Pois, o Google gosta de livros e estantes organizadas, bem categorizadas, de fácil acesso e leitura. O SEO técnico são as medidas de organização que aplicamos ao nosso livro, entenda-se website, de forma a torná-lo rápido, organizado, categorizado e fácil de perceber. Vamos la ver então o que realmente é preciso fazer para atender aos critérios de organização do Google;

Mark ups and structured data

As mark-ups tal como o nome indica, são marcadores de conteúdo tal como nos livros. Devemos marcar as nossas páginas com Capa( SEO TITLE ), Prefácio (Meta description), Titulo da página (H1), subtítulos (H2s) e sub sub títulos (H3,H4..Hn) e por ai fora. Não se esqueçam de colocar legendas nas imagens do vosso livro (Alt tags) .

Desta forma o Google sabe exatamente o tema da nossa página  ( Título SEO e H1) e os subtópicos da mesma (H2...Hn), podendo assim mostrá-la nas pesquisas relacionadas.

Os dados estruturados ou Structured Data,  são protocolos de organização e marcação da informação dos websites seguindo as normativas Google e de outras entidades Web. Ou seja, trata-se de pormos certas partes do nosso website em linguagem para motores de pesquisa, para que estes percebam o que está no conteúdo de forma fácil.

Boa notícia: Existem centenas de Plug-ins gratuitos para wordpress ou qualquer outra plataforma CMS que fazem a papinha toda neste sentido, não tem de programar!

Links Internos:

A linkagem interna é o processo de construção de links entre páginas do mesmo site. Esta linkagem deve ser feita com o cuidado de ligar apenas páginas que estejam relacionadas, ou seja, que sejam RELEVANTES entre elas. É uma forma de dizer ao Google que esta página está relacionada com aquela e se forem RELEVANTES vão passar RELEVÂNCIA E AUTORIDADE uma à outra.

Vou dar um exemplo, eu vou linkar este artigo a  uma página deste site de consultoria SEO para posicioná-la em primeiro para a keyword "SEO Portugal". Esta é a keyword mais competitiva para agências de SEO e agências de marketing digital que fazem SEO em Portugal. Através deste link vou estabelecer relevância ao tópico SEO. Para quem quiser acompanhar a minha evolução nas posições, vou lançar um artigo "do dia 1 à posição 1" em que mostra a evolução até ao primeiro lugar do google em menos de 15 dias de uma página nova, ou seja criada do zero há dias atrás.

Velocidade da Página:

Dentro do SEO técnico esta é a mais fácil de perceber verdade? Simples, sites lentos são altamente prejudicados no SERP (search engine result’s page), ou seja, na página de resultados do motor de pesquisa. Duas métricas muito importantes :

  • Time to first Byte (tempo que o primeiro byte do site demora a carregar)- deve estar sempre abaixo dos 0,5s, de preferência perto dos 0,2 s. Pode testar o TTFB do seu website aqui: https://www.webpagetest.org/
  • Load Time (tempo de carregamento do website) – Deve estar segundo o Google abaixo dos 5s, mas eu não gosto quando passa dos 2,5s ou 3s.

DICA PRO: Instale só os Plug-ins estritamente necessários. Comprima as imagens e reduza ao máximo nos vídeos e animações. São bonitos eu sei, mas vão-lhe custar muito tráfego.

Indexação:

Entenda-se por página indexada aquela que está na biblioteca do Google. Para que isso aconteça, o url dessa página tem que estar num ficheiro chamado “site map”. O site map deve conter instruções das páginas que queremos que estejam indexadas. Apenas devem estar indexadas as páginas que tem conteúdo original e trazem valor. A submissão do "site map" no google é realizada através do Google search console, ferramenta gratuita mas indispensável a qualquer SEO.

DICA PRO: Não indexe páginas sem valor como páginas de categoria ou de ficheiros media.

Off-Page SEO

Conjunto de técnicas externas ao nosso website, que compreendem a construção de links e sinais sociais de outros websites para o nosso. O Google leva a sério o ditado : "Diz-me com quem andas e eu dir-te-ei quem és". Pois é, sites que linkam a outros sites altamente reconhecidos pelo Google ganham Autoridade, enquanto outro sites que ligam a páginas dúbias, manhosas ou reconhecidas como spammers, ganham um convite para as últimas páginas do google ou até para fora da sua biblioteca! (Google penalty)

Backlinking:

São as técnicas respeitantes à geração de links externos que vão para o nosso site. Esses links estabelecem AUTORIDADE se vieram de sites mais velhos e conceituados, RELEVÂNCIA se esses sites cobrirem os tópicos relacionados com os meus e CONFIANÇA se os websites e autores  forem da confiança do Google.

DICA PRO: Os backlinks ainda são um dos principais fatores de posicionamento nos motores de pesquisa.

Entre os vários tipos de backlinks que existem destacam-se os mais comuns:

  • Guest Post ou Press Release (PR):

Quando recebemos um link de outro site de forma não natural, ou seja, em troca de algo, pode ser dinheiro, conteúdo ou até um link de volta.

  • Web 2.0: 

Quando colocamos links em fóruns, diretórios e até nas caixas de comentários de outros blogs a apontarem  para a nossa página.

  • PBN (Private Blog Network):

É uma rede privada de sites com domínios antigos e por isso com muita AUTORIDADE, concebida apenas para o efeito de backlinking. Esta é uma das práticas mais perigosas no SEO que, em 2013, levou muitos SEOs a desistirem pois, nesse ano, a nova atualização do Google (Pinguin) começou a prejudicar os Spammers batoteiros.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, todas estas técnicas são “ilegais” aos olhos do Google. Sim, Guest Post também !

Segundo o Google qualquer ligação de conteúdo não natural, não necessariamente envolvendo dinheiro, é considerada uma tentativa de falsificar AUTORIDADE e faz com que percamos CONFIANÇA, ok?

 A única forma “legal” para o Google de obtermos backlinks, é ter conteúdo tão bom que naturalmente as marcas querem ligar-se a nós para estabelecer relevância e autoridade sobre um tema. Afinal das contas é esse o real propósito do SEO certo?

Sinais Sociais:

Os sinais sociais são as interações e partilhas de conteúdo por terceiros nas nossas redes sociais. Estes sinais transmitem CONFIANÇA, AUTORIDADE E RELEVÂNCIA pois indica que temos uma marca falada e reconhecida sobre um certo tema. Apesar de em si, estes links não terem poder ou “link juice” , são um bom indicador para os motores de pesquisa da AUTORIDADE e reconhecimento da nossa marca, bem como de autenticidade ou CONFIANÇA.

Bom, chegamos ao fim da teoria, vamos lá ver então na prática o que se deve e não deve fazer.

Quais os principais fatores de posicionamento?

7 Fatores Positivos de posicionamento

  1. Ter a keyword exata no URL, SEO title, e no H1 o mais à esquerda possível;
  2. Respeitar a densidade certa da keyword em todo o documento, nem a mais, nem a menos;
  3. Cobrir a maioria dos termos comuns das outras páginas com a frequência certa (TF*IDF);
  4. Título apelativo para obter uma boa taxa de cliques (CTR);
  5. Um bom perfil de backlinks com diversificação e relevância ao tema do nosso site;
  6. Cobrir todos os tópicos que a concorrência tem sobre esse tema e fazê-lo ainda melhor;
  7. Ter linkagem interna para páginas relacionadas de forma a criar relevância no tema;

7 Fatores Negativos de posicionamento:

  1. Website mais lento que a concorrência;
  2. Keyword Stuffing : densidade alta da keyword na página;
  3. Canibalização de Keywords: ter a mesma keyword em mais que uma página, concorrendo entre si;
  4. Conteúdo duplicado ou não original;
  5. Site Map sem cobertura nas páginas que queremos posicionar;
  6. Falta ou excesso de termos e palavras comuns à concorrência;
  7. Linkar ou publicar  conteúdo não relevante ao site;

Ferramentas SEO grátis e pagas:

  • Pesquisa de keywords: kwfinder, uma alternativa gratuita é o google keyword planner.
  • Otimização Onpage (TF*IDF + Topical Coverage): Sufer SEO ou como alternativa grátis o Website Auditor da powersuite.
  • Otimização On-page (Markups): YOAST SEO para wordpress é totalmente gratuito.
  • Auditorias Técnicas do website: Screaming frog ou Website auditor da powersuite, ambos grátis;
  • Análise de Backlinks: Ahrefs ou como alternativa grátis o plug-in Mozbar da Moz;

Bom, espero que tenham gostado mas principalmente percebido na prática o que realmente é SEO e quais as técnicas mais importantes, bem como os fatores a ter em conta.